domingo, 2 de março de 2008

A mãozinha

Quando eu era mais novo, lá por volta de uns 11, ou 12 anos, tinha um senhor que trabalhava no meu prédio que era simplesmente o cara mais bizarro do mundo!


Ele tinha um olhar muito triste, e quase ninguem sabia a respeito da vida dele, a não ser que ele trabalhava de porteiro e q fazia uns bicos pela cidade pra aumentar seu orçamento! Um dia, cansado de tanto ouvir boatos, eu fui tentar conversar com ele pra ver se tirava alguma cosia daquela mente fechada!

Logo, por eu ser uma criança. ele percebeu q podia falar comigo abertamente, jah q mais cedo ou mais tarde eu iria esquecer td oq ele iria me contar! Aí que ele se enganou...! Ainda me lembro quando ele começou a me contar que quando ele era rapaz, ele morava em roça, e semanalmente, ele montava num burrico q havia em sua fazenda e ia até a cidade pra fazer algumas coisas para o seu pai! Só que naquela região, haviam dois caminhos de se chegar a cidade! Um que era bem longo, e outro, q apesar de ser bem curto, de acordo com o povo caipira local, era assombrado nas redondezas de uma imensa Mangueira ue beirava a estradinha de chão batido! Pois bem...após sair demanhazinha sobre milhares de avisos da sua mãe pra não ir nem voltar pelo caminho mal assombrado, ele parte com com o burrico! Na hora de voltar, a noite jah havia caido, e com fome, sede, cansado, ele decidira ignorar todos os boatos e avisos da sua família e voltou pelo caminho supostamente assombrado, afim de chegar mais cedo em casa!

Então, após algum tempo no lombo do animal, ele avista a alguns metros a sua frente, em meio ao breu do matagal q cercava a estrada, a copa da gigantesca mangueira! Sem hesitar, ele prosseguiu seu caminho pela estrada, descrente em qualquer tip ode assombração! Ao se aproximar da Mangueira, o burrico repentinamente para, empaca, prega os pés no chão! Ele tira o chicotinho e lasca na bunda do burrico, q parece nem sentir as lambadas! De repente, ele sente alguma coisa tocar sua perna, uma coisa muito quente, q parecia puxá-lo pra fora do animal! A essa altura, o burrico diparou na galopada, e só foi parar jah na porteira da roça!

Voltando á realidade, eu perguntei pra ele: E Então? Q diabos era akilo? Ele levantou um pouco a barra da calça e me mostrou na perna dele, a marca de uma mão, aparentemente de criança, que ficara estampada na sua perna desde aquele dia!

Após o acontecido, ele passou a acreditar nessas coisas do além, e tb passou a ouvir os conselhos da mãe dele! Eu tb!

Nenhum comentário: